CRÍTICA | MULHER-MARAVILHA
   Canal  Bang  │     1 de junho de 2017   │     21:02  │  0

Mulher-Maravilha tinha o dever de levantar a auto estima da DC / Warner Bros. nos cinemas e desfazer a má impressão deixada por Batman vs. Superman e Esquadrão Suicida. E conseguiu!

Diana (Gal Gadot), a jovem e ingênua amazona nascida e criada na bela Ilha de Themyscira e até então apenas a princesa de sua espécie, é treinada por Antíope, sua tia, interpretada pela atriz Robin Wright (House of Cards) para se tornar a mais forte entre as amazonas. O roteiro do filme é bem amarrado e conta com a história da origem de Diana, onde o resgate de Steve Trevor (Chris Pine) que caiu com seu avião de guerra nas águas da ilha, acaba sendo a ponte para ela conhecer o mundo dos humanos, o qual ela deve proteger.

Não há como reclamar dos personagens, o filme tem uma incrível Mulher-Maravilha, Chris Pine foi muito bem no seu papel de ator coadjuvante, além de ter sido responsável pelo alívio cômico do filme, Connie Nielsen como Rainha Hipólita também foi ótima. A ambientação da Primeira Guerra, diferente da Ilha Themyscira que é bem colorida, deixou o filme com uma carga mais tensa, as cenas de ação são de cair o queixo, a diretora do filme, Patty Jenkins, soube usar de forma bem acentuada as cenas com slow motion, deixando assim, uma marca nos golpes principais que acontecem nas lutas. Para entender o filme, não é necessário conhecer outros do Universo, pois trata-se de uma história fechada.

O grande exagero, porém aceitável, acontece no final, na grande batalha. Nesse momento parece que o mundo real acaba e, dali pra frente, só existe uma infinita sequência gravada em chroma key, o CGI (Computer Graphic Imagery, ou seja, imagens geradas por computador) é jogado na cara do telespectador, mas e daí? Isso é um filme de super-herói, ora! Outro exagero, esse um pouco menos aceitável, mas ainda assim podemos encarar, é o excesso de ingenuidade da Mulher-Maravilha.

Muito se falava, anos atrás, quando Gal Gadot foi a atriz escolhida para interpretar a heroína mais famosa dos quadrinhos. Uns diziam ser muito franzina, outros que ela não tinha cara de marrenta, não iria convencer, mas aos poucos, com os trailers, a participação em Batman Vs. Superman (há quem diga que a melhor parte do filme), Gal, com seu carisma, foi conquistando o público e o que vimos foi uma Mulher-Maravilha com Ms maiúsculos.

Nota Bang de qualidade: 9,0

Siga nossas redes sociais e inscreva-se em nosso Canal no Youtube!

Twitter: @programabang
Instagram: @programabang
http://www.facebook.com/ProgramaBang

Por Rafael Bezerra / Equipe Bang

Tags:, , , , , , ,

>Link  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *